segunda-feira, 25 de julho de 2011

Preconceitos - Música do Demônio!!!

 Hail!!!
Eis minha pessoa aqui novamente, Mr. Tavar, para falar de um preconceito ridículo que persegue o Metal.


Música do capeta!!!
http://4.bp.blogspot.com/_yxZjrOZ-4rQ/R1G92hyS3fI/AAAAAAAAADo/SQBH4xBOmQM/s400/capeta.jpg
Ridículo, não? 
Pois é meus caros amigos, ainda tem pessoas no planeta Terra que diz que Metal é coisa do mal, mas Mr. Tavar quer provar agora que essas pessoas estão cometendo um erro terrível ao dizer isso. E o Mr. Tavar não só quer, como vai!

Quando, como e por que essa putaria começou?

 Não, infelizmente Mr. Tavar não pode dar dados exatos sobre quando isso começou, mas a razão é lógica, devemos apenas observar dois fatores : 

O Rock foi o maior sucesso!: Certo, tiremos portanto o foco do Metal. Todos sabem que, como já disse antes, o Metal nasceu do Rock. 
O Rock era um estilo de música com que muitas pessoas identificaram, pois tinha um som divertido e contagiante. Seus artistas eram verdadeiros ídolos, lutando pela liberdade em suas músicas, sendo vistos como símbolos de rebeldia
É óbvio que jovens que queriam um estilo de vida mais descontraído e que viviam numa sociedade extremamente conservadora iriam adorar esse nova música e a veria como uma porta para a vida que tanto desejavam: uma vida livre dos paradigmas da sociedade e da monotonia por ela imposta.
Porém, a sociedade em geral não pensava dessa maneira e achava que o sucesso daquela "coisa selvagem" com aquele som "demoníaco" só poderia ser obra do capeta.

http://4.bp.blogspot.com/_sftTfiC1KiU/TL8ZhOcEtpI/AAAAAAAAAgM/qhHeMWExV3U/s200/diabinho.gif

Contestação de padrões: assim como já disse no artigo anterior, o Rock e o Metal nos induzem à liberdade. Sendo assim, eles também são livres para dizer o que quiserem em suas músicas, sem se importar com qualquer reação negativa. Em músicas de Rock e Metal podemos encontrar contestações sobre os padrões da sociedade e ainda podemos vê-los se questionando sobre dogmas religiosos. Pois é meu amigos, isso emputeceu intrigou a igreja:
"Como assim, esses selvagens acham que tem o direito de nos contestar? O ROCK É MÚSICA DO DEMÔNIO!"
Assim, como a sociedade é dominada pela igreja e contestar o que a igreja diz é pecado mortal, o Rock e o Metal ficaram taxados como música do diabo. Que poder que nossa santa igreja tem né?
Pois é, a igreja condenava todos os que gostavam de Rock e fazia todos os outros seres manipulados e alienados pensarem que ele era obra do Diabo. Quando o Metal decidiu falar um pouco sobre ocultismo então, só faltou a igreja mandar a Santa Inquisição matar o Rock e o Metal queimados.
Mas não foi somente a igreja que se sentiu incomodada pelas músicas divinas. O sistema em completo se viu ameaçado. Imaginem só a situação: 
"Olha esse tal de Rock e aquele Metal... Eita! Veja o que eles estão dizendo!!! Isso ainda pode gerar uma terrível revolução. Eles dizem toda a verdade, denunciam as falhas dos padrões por nós impostos e já existem pessoas que abriram os olhos e que perceberam que faz sentido. Não podemos deixar isso acontecer. Não! Seria uma catástrofe! Mas o que podemos fazer... Já sei! A religião tem muito poder sobre a cabeça do povo e faz com que elas morram de medo do Diabo. É isso, dizemos que essas músicas são obras do capeta e está tudo resolvido!"

http://ofrango.files.wordpress.com/2007/06/diabinblog21.jpg 
E antes que o Mr. Tavar se esqueça, há outro fato que deve ser esclarecido:
Aquele chifrinho que se faz com a mão é o símbolo do demônio? Não criatura!!!
O chifrinho feito com a mão é apenas um símbolo que existe há muito tempo que dizem que afasta mal olhado. Esse símbolo foi popularizado por Ronnie James Dio, vocalista que substituiu Ozzy Osbourne no Black Sabbath. Ele aprendeu esse gesto com sua avó e fazia nos palcos durante suas apresentações e fazia apenas pelo motivo já citado. Portanto, não tem nenhuma ligação com o capeta.

 http://cache.gawkerassets.com/assets/images/7/2010/05/0516_ronnie.jpg

Mas as músicas que falam do demônio em si?

Bem, meu amigos, o Metal é conhecido por ser um gênero muito teatral e muitas das músicas de Metal contam histórias, assim como filmes e livros. E livros e filmes não são chamados de coisa do mal por isso, são?
Outro motivo é chamar a atenção. Sim, só para tirar uma da cara da igreja, que os taxou como satânicos, eles muitas vezes usam isso ao seu favor, com o único intuito de chamar a atenção.

Conclusão:
Para a felicidade dos cristãos, infelicidade dos adolescentes rebeldes que gostam de chamar a atenção de todas as maneiras possíveis e para indiferença dos ateus e pagãos, podemos concluir que o Rock e Metal não são obras do demônio e que tudo isso não passa de mais um conceito ridículo e preconceituoso criado contra as forças divinas do Metal.
E que saber de uma coisa: the devil is a loser and he's my bitch!
Hail & Metal Up!
http://api.ning.com/files/MR8Xysi2G0yTptrzOAB1K9rb9RpyiQbKvCuyq*55E2jKvp9oXgCW145bTzEi4u1Wm6VayQkB-yVZm*CKTCHSsN9GFCI7c5LD/DevilHornsKeepitMetal.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário